11,98%-Semana pós ocupação do plenário

 11,98 %  –  Nesta segunda dia 12 , mobilização em frente à  ALES  a partir das 14:00hs .

Às 16 horas no Tribunal de Contas ,  Sindilegis e CUT  se reúnem  com  Domingos Taufner  .

 

A semana que sucedeu o movimento de ocupação do Plenário, foi marcada pelo apoio dos setores sociais aos servidores e ao movimento, pelo ataque de A Gazeta  e pela repressão dentro da Ales.

Os servidores e o Sindilegis, receberam muitas manifestações de apoio de entidades sociais e sindicais. Toda a direção da CUT esteve  na Assembleia Geral Permanente do dia 5,  e também o presidente da Fenale. Os  trabalhadores, reafirmaram seu apoio ao sindicato, aos servidores e ao movimento. Os dirigentes sindicais se alternaram na defesa dos 11,98%, e decidiram sobre uma nota pública sobre a ocupação à sociedade.

O presidente da CUT- José Nunes, reafirmou o apoio da Central, disse que o movimento é de luta de classes, não tem relação político-partidária que a presença da CUT estabelece isso. Falou também que o apoio de todos é necessário,  toda indignação tem que ser manifestada, e se tiver que ir pra rua, a CUT vai.

 

Também o presidente da Federação Nacional dos Servidores dos Poderes Legislativos Federal, Estaduais e do Distrito Federal- Fenale, Gaspar Bissolotti Neto esteve presente . Gaspar lembrou que esteve há dois anos, com os servidores quando da luta pela incorporação dos 11,98%. Que tudo o que está acontecendo com os servidores do legislativo capixaba, está sendo passado à todas as entidades filiadas à Fenale. Pediu que os servidores tenham mais participação e união. 

 

 

 

Mais abuso na Ales

Após o dia 29 de novembro, do movimento de ocupação, para entrar na galeria, as pessoas estão  sendo  fichadas. Além de se identificar na portaria da Assembleia Legislativa, o cidadão é submetido a um novo processo na entrada das galerias.

Posso entrar?

Aluísio Brandão, é pensionista, aos 85 anos de idade,   foi professor de diversas autoridades, ainda tem que se cadastrar para entrar na galeria. Fato que achou estranho, e chegou a perguntar se podia entrar.

Aos 85 anos de idade, o pensionista Aluísio Brandão, teve que se cadastrar para entrar na galeria. Presença constante nas manifestações da reposição, desde o primeiro dia. Participou do protesto na ocupação do Plenário , acredita que com muita luta vai ser pago. E assim que for conseguido, pretende ajudar os três filhos e oito netos.

Aluísio é viúvo da Procuradora da Assembleia Legislativa, Berenice Calvas Brandão, falecida há 11 anos em virtude de um câncer. Tempos depois da morte da mulher, foi chamado por colegas dela a se associar ao sindicato, a participar das atividades. Pessoa afável, terna, é também professor aposentado. Lecionou Química nos cursos de Engenharia da Ufes tendo sido inclusive, professor de três ex-governadores, e do Deputado José Esmeraldo. Agora, participa do movimento dos 11,98%, um direito, que a falecida esposa, e funcionária ,não teve tempo de ver ressarcido.

 

 

Compartilhar
Esta entrada foi publicada em Galeria de fotos, Noticias. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *